jusbrasil.com.br
6 de Dezembro de 2021

Cuidado com a auto proclamação da pessoa de bem.

Pessoas não tão boas assim, se pintam de seres melhores por participar de associações, fundações, poderes da república, partidos políticos, grupos fraternos e filosóficos, religiões, etc. Esteja atento, com as pseudo pessoas de bem.

Valmir Moraes, Advogado
Publicado por Valmir Moraes
há 3 anos

No dia de hoje faleceu no Brasil, um menino de 07 anos, neto de um ex-presidente da republica do Brasil, condenado a prisão. Me assustei com tantas "pessoas de bem" festejando a morte da criança, devido ao ódio pelo avô(o qual a maioria nem conhece). Fiquei chocado porque milhares de pessoas negam a Lula o direito legal de ir ao velório. Lembrei de um texto que escrevi estes tempos durante uma reflexão mas não publiquei na época, porque tenho medo das pessoas “de bem”, mas não dá mais para se calar:

PORQUE TENHO MEDO DAS PESSOAS DE BEM.

 Nos tempos antigos, antes que as grandes cidades existissem, os chefes de clãs, pessoas de bem, estupravam meninas nas tendas dos nômades dos desertos, fazendo delas suas esposas desde os 5 anos de idade. Faziam isso em nome da tradição.

 Na Grécia antiga e no extinto império romano, eram as pessoas de bem os proprietários de escravos, que se exauriam para dar qualidade de vida para uma cambada de vadios, tudo isso protegidos pelo manto dos costumes e tradições;

 Na palestina de antigamente, foram as pessoas de bem que acusaram, torturaram e crucificaram Jesus Cristo, que foi assassinado pelo legitimo clamor popular das massas;

 Depois, no período dos imperadores romanos enlouquecidos pelo poder, eram as pessoas de bem que enchiam os estádios para ver cristãos e escravos sendo devorados por feras, crucificados e queimados, tudo legitimado pela lei Romana que protegia o Estado;

 Na idade média europeia, as pessoas de bem eram vestidas com o manto escarlate dos sacerdotes, que de dentro de suas catedrais ordenavam a morte na fogueira de mulheres, velhos e crianças em nome de Deus;

 No novo mundo além-mar, os homens de bem escravizavam os povos nativos, estupravam crianças e mulheres indefesas, roubavam-lhes as terras, e faziam isso protegidos por títulos de nobreza e menções de honra religiosa;

 Homens de bem do novo mundo, também queimaram mulheres sobre o estereótipo de bruxas, enquanto bradavam crucifixos e bíblias ao alto para exprimir sua santidade, conduzidos pelo manto da religião da reforma cristã;

 Pessoas de bem apoiaram e administraram a indústria de assassinatos em série de milhões de judeus, gays, deficientes físicos e mentais, idosos e mulheres, levados a campos de concentração, como animais ao matadouro. Fizeram isso em nome da filosofia da segregação ideológica e racial;

Dá para entender por isso tudo que pessoas de bem de verdade se colocam no lugar do outro, sentem a dor do outro, não prejudicam os outros, perdoam sempre, dialogam, ouvem os outros, não gostam de zoar seus semelhantes, não tem razão sempre, nunca acham que são melhores que todo mundo, se alegram com a felicidade das pessoas, não vivem em prol da punição das pessoas, são altruístas, evitam criticar, sabem que os direitos e as leis não foram feitas para o seu Bel prazer , mas sim para o bem da coletividade, compreendem que o sol é para todos e a chuva também. Enfim, vivem sob a igualdade fraternidade e liberdade para todos e não para somente para si.

Hoje nada mudou , e as “pessoas de bem” amam os titulos, a auréola de santidade, a capa da honestidade ou os símbolos de tradição. Não a toa, muitos dos abusos domésticos contra crianças são praticados por alguns FDPs que se protegem sob o titulo de tutor ou nas escolas por um ou outro professor. Na religião não são poucos os pastores, mestres e padres acusados de assédio, pedofilia e abusos. As pessoas de bem convencionais, amam esta relação de poder, onde podem escolher suas vitimas, amoitados nos ilibados esconderijos da sociedade.

Desconfie sim do rosto de ovelha dos que professam o tempo todo a verdade, dos que amam estar em evidência nas associações, nas instituições, nas igrejas, nas escolas, mas faculdades, nas organizações profissionais de qualquer espécie, nas fraternidades sociais, nos centros religiosos, no esporte, e etc, e etc e etc.

Enfim, desconfie sempre das “pessoas de bem” que demonstram isso falando sem parar de sua bondade ou da efetiva pureza de suas instituições e que ao mesmo tempo se esforçam em separar as pessoas entre bons e maus, direita e esquerda, os de cima e os de baixo, os pretos e os brancos e por aí vai.

Note que “as pessoas de bem” estão sempre se nominando no grupo dos melhores, mais puros e salvadores da pátria. Note que você só será bom para eles se estiver apto a migrar para o grupo “das pessoas de bem”.

É claro que existem em todas as instituições muitas pessoas ilibadas e confiáveis, contudo no Brasil onde a educação é falha por inteira, a busca por títulos a fim de maquiar o lobo de ovelha infelizmente é corriqueira. Ou como queira o leitor, a mania do injusto em se dourar e subir no poste para ser notado sem sua couraça de ignominia.

Cristo morreu por nos alertar destas pessoas de bem, as quais, conforme ele “pelos frutos” os conheceríamos. Atenção e cuidado nunca é demais, sob o risco de subir ao gólgota com a cruz nas costas e ficar dependurado sob ferros para o espetáculo da multidão de pessoas de bem.

Valmir Moraes

Jurista e Advogado em Joinville - SC.

OAB/SC 53529

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Valmir Moraes, bom dia!!

Boa colocação.
Pessoas de bem não existem.Isso é estereótipo.Não passa de um desvaneio social a fim de rotular um período ou outro em que os seres se ponham.Também não existem pessoas de mal.Existem pessoas que enraizadas em si mesmas tem esse ou outro comportamento.Mister salientar que óbvio, o título rotulante deve ser preponderante, daí cabe dizer que pessoas de bem sabem diferençar o período eventual ora vivido.Que pessoas devam ser circunstanciais ? Diria que não, mas se for para manter o rótulo social, prefiro sim, ser pessoa de bem. Pelo menos, saber compreender a dor do próximo já é uma grande avanço titulo rotulante. continuar lendo

A esmagadora maioria de nossa sociedade é de tem.

Acordam logo de manhã com propósitos comi trabalhar, pagar suas contas em dia, cumprir suas obrigações, cuidar da família, zelar por sua religião, seja ela qual for.

Procuram crescimento profissional nas mais diversas áreas, da mais humilde a mais intelectualizada.

Pessoas de bem temem as Leis, procuram cumpro-las por entendimento e por respeito.

Pessoas de bem não são perfeitas mas buscam ser amanhã melhores do que hoje.

Pessoas de bem existem sim e respeitam a individualidade, os direitos e a liberdade dos outros. continuar lendo